Facebook Google

quarta-feira, 10 de julho de 2019

Os escritórios de advocacia no mundo da cobrança

Os escritórios de advocacia no mundo da cobrança
By Equipe CEDRUS - 08/07/2019

A cada dia mais escritórios de advocacia estão ampliando seu território de trabalho com atividades de cobrança judicial e extrajudicial. Quando o escritório tem a demanda de trabalhar também com a carteira que ainda não tem ação judicial em andamento é necessário ampliar um pouco o repertório, isso porque este grupo tende a ser maior, demandando mais agilidade e organização. 

Essa demanda de profissionalização do processo de cobrança tem feito nossa carteira de clientes aumentar nesta área. Em contrapartida, resolvemos fazer este post para ajudar os escritórios que ainda estão começando nesta empreitada, e também aqueles que precisam melhorar e estruturar os seus processos de cobrança de uma maneira mais eficiente. 

Veja algumas dicas que vão ajudar a colocar o seu seu escritório entre os que já estão nesta área a algum tempo:


1. Política de Cobrança


Crie uma política de cobrança que tenha regras e diretrizes claras para que a sua equipe consiga ter clareza de quais serão os próximos passos e quando acontece cada um deles.

As perguntas a seguir podem te ajudar na construção desta política:


    • Com quantos dias começará o processo de cobrança?
    • De quanto em quanto tempo o devedor será abordado?
    • Quais serão os meios de comunicação adotados (contato telefônico, envio de carta, e-mailSMS e/ou WhatsApp)?
    • Qual o perfil dos devedores? São cobranças recorrentes ou pontuais? 
    • Na não negociação, os clientes serão enviados para serviços de proteção ao crédito e/ou entraremos com ação judicial? Se sim, a partir de qual momento? 


Depois de responder a estas, e outras questões que surgirão, padronize as ações e documente suas decisões para que se possa acompanhar e medir o andamento e desempenho de cada ação.


2. Régua de Cobrança


O conceito de régua é o envio de ações em uma linha do tempo. Ela ajuda a colocar em prática as estratégias de cobrança de uma maneira ágil e sem perder a frequência. Se você usar uma régua automática também é possível fazer segmentações conforme o perfil dos devedores. Isso ajuda a ter mais assertividade no processo de cobrança. 

Uma das estratégia da régua pode ser o envio lembretes de vencimento para as parcelas das negociações efetuadas, por exemplo. 

Veja aqui um vídeo rápido que explica sobre a régua do nosso sistema de cobrança para que você entenda melhor conceito.


3.  Indicadores de Cobrança  


Indicadores são ótimas ferramentas de gestão e controle e eles nos ajudam a entender se os resultados e/ou processos estão saindo fora do rota. Por isso, escolha alguns marcos que você possa acompanhar e entender se os processos estão evoluindo ou se estão em uma % adequada levando em consideração o seu histórico ou até mesmo o mercado.

Veja alguns dos indicadores que podem ser acompanhados:


    • Reversão - o percentual de recuperação de valores em cada ação;
    • Efetividade - o quanto cada ação de contato ou negociação converte em pagamento;
    • Quebra de acordos - quantas negociações não são confirmadas, ou seja, pagas;
    • Produtividade -  todas as variáveis relativas a ligações feitas pela equipe de cobrança (quantidade, duração, negociação e conversão);
    • Monitoria - quais notas em diversos quesitos a equipe de cobrança recebe a cada contato com o cliente inadimplente.


Um boa gestão de indicadores é essencial para que você possa mudar ou testar novas estratégias.  Se você ainda não tem clareza em quais indicadores focar veja o nosso post “Indicadores importantes para gestão em cobrança” para ter uma ideia. 

Estes são apenas 3 passos que podem organizar e potencializar os seus processos de cobrança. Lembre-se que é possível ter mais controle, agilidade, tranquilidade e economia com processos automatizados


Até a próxima!


Sistema de Cobrança


0 comentários:


Copyright © RDZ Sistemas - Sistema de Cobrança
Bloggertheme9