Facebook Google

quarta-feira, 15 de julho de 2020

Como abrir arquivos CSV no Excel sem perder a formatação

By Equipe CEDRUS - 15/07/2020

Muitas vezes, depois de salvar um arquivo no formato CSV e abri-lo no Excel, este arquivo perde a formatação original nas células com números muito longos, ou seja, o arquivo assume a formação do Excel, conforme abaixo: 



Com o arquivo desformatado assim, não é possível compreender as informações contidas nele. Por isso, preparamos este tutorial para que você abrir o seu arquivo CSV no Excel, mas mantendo a formatação original. Veja abaixo passo a passo de configurações do Excel para abrir corretamente os dados de um arquivo .csv:


1. Abra o Excel, o programa, e não um arquivo em Excel e selecione o Menu Dados e em seguida a opção “Obter Dados Externos” > “De Texto”.



2. Nesta tela, selecione o arquivo original que você gostaria de abrir e clique em “Importar”, depois marque a opção “Delimitado” e clique no botão “Avançar”.





3. Nesta tela, marque a opção “Ponto e Vírgula”. Na barra de rolagem você pode visualizar se alguma coluna já está sem a formatação original, se isso aconteceu, após selecionar o "Ponto e Virgula",  é porque esse arquivo já não está com a formatação correta, feche e abra o arquivo original que contém os dados corretos. Faça o procedimento novamente, se estiver tudo ok, clique no botão “Avançar” para continuar.





4. Nesta tela procure a coluna que perdeu a formatação quando você abriu o arquivo anteriormente, sem fazer este processo e mude o formato para “Texto” e depois clique no botão “Concluir”.





5. Quando abrir a tela de “Importar dados”, clique no botão “Propriedades”.





6. Agora desmarque a opção “ Preservar configurações de célula”, depois clique no botão “OK”.





7. Clique novamente no botão “OK” na tela de “Importar Dados”.





Pronto! Configurando desta maneira você manterá a formatação original do arquivo CSV e poderá conferir os dados no excel quando achar necessário.  Esse passo a passo pode ser utilizado para qualquer sistema que você utiliza, que gere arquivos em CSV, e que precisa ser aberto em Excel. 



Até a próxima!



Sistema de Cobrança


quinta-feira, 11 de junho de 2020

Relatório de Retorno IUGU

By Equipe CEDRUS - 11/06/2020

Como você sabe o CEDRUS tem uma Plataforma de Pagamentos, a plataforma utiliza a IUGU para emissão e cobrança via boleto e/ou cartão de crédito. Se você já usa a plataforma de pagamento ficou muito fácil consultar o retorno das transações efetuadas, valores a serem repassados e as taxas cobradas. Basta você acessar o Menu Relatórios / Operação / Retorno IUGU.



Nesta tela você pode selecionar a Ocorrência, tipo de pagamento, status e datas do evento, pagamento ou crédito. 


Veja abaixo as informações que estão disponíveis neste relatório:

    • Data: data da emissão da cobrança
    • Seq. de retorno: número do arquivo
    • Título: número do título 
    • Negociação: número da negociação
    • Parcela: número da parcela
    • ID IUGU: código da IUGU para a parcela
    • Devedor: código do devedor
    • Ocorrência: ocorrência apontada pelo IUGU (Cancelamento, pago, devolvido, expirado)
    • Tipo: boleto ou cartão
    • Data pgto: data de pagamento
    • Data de crédito: data de crédito no banco
    • Valor pago: valor pago
    • Valor desconto: valor de desconto
    • Valor juro: valor dos juros se foi pago em atraso
    • Valor taxa: valor da taxa 
    • Valor líquido: valor pago menos o valor da taxa
    • Status: status da transação (Erro ou Finalizado)
    • Mensagem: mensagem apontada pela IUGU


Conheça um dos layouts prontos que o CEDRUS já disponibiliza para este relatório.

Layout - CEDRUS:  Dt. Crédito x Valor


Neste layout é possível acompanhar por data de crédito os valores repassados.

Lembre-se, o CEDRUS já disponibiliza modelos de layouts prontos para facilitar as suas análises, mas você ainda pode criar outros modelos que atendam especificamente ao seu dia a dia.

Agora você já conhece mais um dos relatórios do CEDRUS e pode avaliar ainda melhor os seus processos de cobrança!


Até a próxima!



Sistema de Cobrança


Relatório de Arquivos Bancários


By Equipe CEDRUS - 11/06/2020

Ficou mais fácil para você consultar as informações enviadas ou recebidas dentro dos arquivos bancários no Cedrus. Basta você acessar, no sistema, o Menu Relatórios / Operação / Arquivos Bancários.



Nesta tela, você pode selecionar o Banco, um devedor específico, nosso número, a data de geração do arquivo, o tipo de arquivo que pode conter as informações de Remessa e Retorno em “todos”, ou apenas de remessa ou retorno com informações sintéticas como: tipo de arquivo, banco, data de geração, nome do arquivo e quantidade de títulos. 

Veja abaixo um exemplo sintético:


Se você quiser ver os títulos que foram dentro do arquivo, assim como as ocorrências de cada título, é necessário selecionar “Listar Títulos”, desta maneira você terá a versão analítica do relatório. 

É importante lembrar que as ocorrências só aparecem quando o “Arquivo Retorno” foi importado para o Sistema, pois é ele quem traz as ocorrências que o banco apresentou para cada título. 

Veja abaixo as informações que estão disponíveis na versão “Lista de Títulos”:

    • Tipo: tipo de arquivo (remessa ou retorno)
    • Banco: Banco
    • Portador: portador cadastrado no sistema
    • Seq. arquivo: número do arquivo
    • Arquivo: nome do arquivo
    • Data geração: data de geração do arquivo
    • Código cliente: código do devedor
    • Nome: nome do devedor
    • Tipo de título: se é um título de negociação ou original
    • Nosso número: nosso número criado para este boleto
    • Valor do título: valor do título
    • Data de vencimento: data de vencimento do título
    • Data da ocorrência: data da ocorrência apontada pelo banco
    • Data de crédito: data de crédito no banco
    • Valor pago: valor pago
    • Tipo de ocorrência: tipo ocorrência apontada pelo banco (Confirmação, Pagamento e Erro)
    • Ocorrência: ocorrência apontada pelo banco
    • Mensagem: mensagem do banco 
    • Motivo: motivo apontado pelo banco


Conheça um dos layouts prontos que o CEDRUS já disponibiliza para este relatório.

Layout - CEDRUS: Tipo de Arquivo x Banco












Neste layout é possível visualizar o Banco e o arquivo gerado por dia.

Lembre-se, o CEDRUS já disponibiliza modelos de layouts prontos para facilitar as suas análises, mas você ainda pode criar outros modelos que atendam especificamente ao seu dia a dia.

Agora você já conhece mais um dos relatórios do CEDRUS e pode avaliar ainda melhor seus processos de cobrança!


Até a próxima!



Sistema de Cobrança


segunda-feira, 4 de maio de 2020

Política de Cobrança - O que é e como fazer?

Política de Cobrança - O que é e como fazer
By Equipe CEDRUS - 04/05/2020

A Política de Cobrança  é uma diretriz, um combinado de ações que a empresa elege para lidar com os clientes inadimplentes. Possuir uma Política de Cobrança significa ter eficiência no processo de recuperação de valores das carteiras, ela é fundamental para que a área de cobrança saiba o que fazer em cada situação. 

Uma boa Política de Cobrança é basicamente aquela que torna eficiente o recebimento de valores em atraso. Isso pode ser acompanhado em relatórios e mesmo na conferência das contas da empresa. Mas, vamos listar aqui algumas características de uma Política de Cobrança bem feita e também alguns erros comuns que equipes e gestores cometem.


1. A Política de Cobrança começa na concessão de crédito



Diz o ditado que não há estratégia de cobrança que recupere o crédito mal dado. Na prática, isso significa que quando o setor de vendas, no caso de empresas, ou de empréstimos, no caso de instituições financeiras, precisam ter critérios na hora de vender ou emprestar recursos. Muitas vezes os clientes inadimplentes dão sinais de que não terão fôlego para honrar com o compromisso já na fase de contratação. O setor de vendas e concessão precisa estar atento a estes sinais e ser criterioso para não gastar tempo e energia cobrando posteriormente, precisamos desta sinergia entre a área comercial e a área de cobrança, assim juntas podem usar estratégias que se complementam.


2. A Política de Cobrança precisa de uma base de dados atualizada



Dentro de uma estratégia de cobrança é básico que o analista ou operador entre em contato com os clientes para cobrar ou negociar. Neste processo gasta-se tempo e dinheiro (conta telefônica, pacote de SMSs, hora/ analista), nada mais justo, então, que a base de dados esteja o mais atualizada e limpa possível. Isso significa que os e-mails estão corretos, que os telefones de contato estão atualizados e que os clientes estão organizados por tempo de atraso. Tudo isso organizado garante que o operador não terá desperdício de ligações ou mensagens que precisam ser re-enviadas.


3. A Política de Cobrança precisa de agilidade 


Apesar de para a lei não ser assim, para o mercado é importante que um dia de atraso já se considere inadimplência, assim as equipes conseguem agir rápido e garantir o recebimento antes de ajuizar a cobrança. A inadimplência não pode ser surpresa para o credor, este precisa estar atento aos acontecimentos econômicos do Brasil e do Mundo para prever as dificuldades que seus clientes enfrentarão e agir logo para oferecer a melhor negociação. Se o cliente está inadimplente com a sua empresa, pode muito bem estar devendo para outras, por isso a agilidade na negociação garante que ele se comprometa com você primeiro.


4. Na Política de Cobrança falamos em recuperação de crédito


A forma como uma empresa ou equipe se coloca diz muito sobre como ela desempenha seu trabalho, fora o respeito que conquista com clientes e parceiros. Por isso, pensar em recuperação de crédito tem se mostrado mais eficaz do que “setor de cobrança” simplesmente. A possibilidade de negociar, conversar e compreender o cliente do outro lado da linha ou da tela faz a diferença no momento de receber os valores devidos.


5. A Política de Cobrança funciona com base em uma régua de cobrança


Uma régua de cobrança é o esquema de ações distribuídas em uma linha do tempo. Por exemplo:

    • Posição 1 - Após 06 dias de atraso: envio de e-mail para o cliente 
    • Posição 2 - Após 15 dias de atraso: contato telefônico
    • Posição 3 - Após 23 dias de atraso: envio de SMS
    • Posição 4 - Após 27 dias de atraso: contato telefônico
    • Posição 5 - Após 35 dias de atraso: envio de carta
    • Posição 6 - Após 47 dias de atraso: envio de e-mail para o gerente da venda e contato telefônico.  
    • Posição 7 - Após 180 dias de atraso: encaminhar caso para o jurídico e/ou negativação.


Esta régua pode estar em um documento que todos os colaboradores da equipe tenham acesso, ou, melhor ainda, ela pode ser uma ferramenta em um software de cobrança. Desta forma, além de configurar a régua para a realidade da empresa, nutrindo-a com os contatos atualizados dos clientes e o status da cobrança (tempo de atraso), as ações acontecem automaticamente, sem precisar se preocupar com esta operacionalização a cada Posição da régua.

No momento de configurar a sua Régua de Cobrança é importante definir quais meios de contato a empresa quer usar para abordar o cliente em cada fase. Utilizando o software, é possível organizar o contato com os clientes também por telefone.




6. A Política de Cobrança precisa categorizar tudo e considerar exceções


No desenvolvimento da Política de Cobrança é preciso considerar quem estamos cobrando, o que a empresa vende e o quanto estão nos devendo.  Algumas empresas de cobrança são especializadas na recuperação de empréstimos, outras cobram contas de consumo, outras ainda, dívidas com cartão de crédito. Da mesma forma, temos todo esse universo de empresas com equipes próprias de cobrança dentro de suas empresas.

Na outra ponta, temos os clientes, tem aqueles que atrasam e pagam depois de alguns dias, tem aqueles que nunca atrasam e tiveram um problema de extravio de boleto, por exemplo, tem clientes recorrentes, tem clientes novos. Tem cliente que deve valores baixos há muito tempo, e clientes que devem muito mas há poucos dias. Todas as particularidades precisam constar na Política de Cobrança, assim como a forma que a equipe vai lidar com elas.

Todas as adversidades e perfis de clientes devem ser considerados na Política de Cobrança e a forma escolhida para lidar com eles deve ser documentada. Esta documentação precisa contemplar: como cobrar, o que cobrar, de quem cobrar e a qual prazo. Isso organiza e cria parâmetros que podem ser replicados se forem bem sucedidos. Com a rotina estabelecida é possível segmentar e tratar cada grupo (por tempo de atraso, por valor, por tipo de empresa) de uma maneira, levando em consideração suas particularidades. Estude o perfil dos seus clientes e entenda quais são os motivos de inadimplência.


7. Política de Cobrança precisa ser colocada em prática por pessoas treinadas e especializadas 


Infelizmente encontramos no mercado empresas de vários setores, ou mesmo empresas especializadas em recuperação de créditos que quando estão com muitas demandas de cobrança acabam “emprestando” funcionários de outras equipes para desempenhar papéis na área. Se todos estiverem treinados e tiverem condições de negociar e abordar com educação, tudo bem. Mas, nem sempre é assim. Na Política de Cobrança é importante que todos que forem colocá-la em prática estejam cientes de suas etapas e regras, isso evita confusão e re-trabalho.

O operador de crédito e cobrança não é somente uma pessoa que cadastra contatos, envia e-mail e faz ligações. É um analista, um negociador. Precisa estar a par dos trâmites que envolvem a recuperação de crédito e estar apto para fazer análises e pensar na melhor proposta para fechar aquela negociação.


8. Numa Política de Cobrança, o melhor cobrador pode estar no setor comercial


Para algumas empresas este é um tabu, mas para nós, precisa ser vencido. O setor comercial, aquele que fez a venda ou concedeu o crédito, é um potencial agente na recuperação de crédito. Esta pessoa conhece o setor, conhece o cliente, eventualmente fez visitas à empresa e com certeza tem os contatos atualizados. Acionar seu colega vendedor pode fazer toda a diferença na hora de contactar o devedor e fazer uma proposta que seja factível para ambos os lados.  


Com esses conceitos você conseguirá desenhar uma Política de Cobrança inicial para sua empresa e, com o devido acompanhamento por meio de relatórios, poderá fazer os ajustes necessários para ter ainda mais sucesso na recuperação de créditos e manutenção dos clientes.


Até a próxima! 



Sistema de Cobrança


quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Confissão de dívida - Proteção e Segurança para o Credor e para o Devedor

By Equipe CEDRUS - 27/02/2020

Existe uma alternativa mais formal e segura que o fechamento de acordos de pagamento de dívidas somente por e-mail, seja com a geração de boletos, o recebimentos de cheques  ou depósito para o pagamento de dívidas. Trata-se da Confissão de Dívida, uma proteção tanto para o credor quanto para o devedor. A principal vantagem é seu prazo de execução, ela vale por até cinco anos, quanto que cheques não protestados apenas seis meses.

A Confissão de Dívida, que também pode ser chamada de Termo de Acordo, é a formalização de um acordo, com garantias judiciais e que deve ser assinado pelo credor, devedor e duas testemunhas. Considerada um título executivo extrajudicial pelo Código de Processo Civil é a única forma de cobrar exigindo multas por não cumprimento do acordo, por exemplo.

Quem está no dia a dia da cobrança sabe, por experiência própria, que acordos “de boca” ou somente emissão de boletos e recebimento de cheques podem dar errado. Isso porque o devedor pode não honrar com o combinado, aumentando os índices de inadimplência da empresa. A Confissão de Dívida existe para respaldar acordos, que podem até começar verbais e depois são formalizados com este documento, beneficiando ambas as partes - o credor terá seus valores recuperados e o devedor não terá surpresas com novas cobranças ou novas multas. 

Dentre as boas práticas para elaboração de uma Confissão de Dívidas está explicar ao devedor tudo que consta neste documento e as implicações de sua quebra. Uma orientação importante é o credor jamais aceitar cheques ao invés de ter também a assinatura de uma Confissão de Dívida. O recebimento de cheques não significa que a dívida será paga, o pagamento pode ser por este meio, sem problemas, contanto que o acordo tenha sido firmado e assinado. 

Os cheques tem um prazo menor para serem protestados e, mesmo no prazo correto, podem estar sem fundo, gerando para o credor mais um trâmite bancário e judicial para reaver os valores não pagos de seu cliente inadimplente. Além disso, no caso de negociação de empresa com empresa, os cheques apresentados podem ser de terceiros, pessoas físicas, e que, mais uma vez, no caso de não serem descontados podem gerar disputas judiciais em outras varas da justiça. 

Mas não se esqueça, dentro de toda uma estratégia de cobrança, a execução judicial da Confissão de Dívida entra em cena depois que já se esgotaram outras alternativas de cobrança e negociação até mais amigáveis. No fim, esta é a maneira mais segura para oficializar a negociação efetuada.  

Não deixe de conhecer outras alternativas para melhorar suas estratégias de cobrança nos demais artigos em nosso blog:


Até a próxima!



Sistema de Cobrança


segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

Novidades no CEDRUS - Menu Meu Plano

Novidades no CEDRUS - Sistema de Cobrança
By Equipe CEDRUS - 17/02/2020

Novas funcionalidades aguardam os clientes CEDRUS. O Menu Meu Plano está de cara nova e queremos contar as novidades que vão facilitar o seu dia a dia. 

Primeiro, vamos juntos chegar até ele em nosso menu: para acessá-lo clique na lateral superior direita sobre o nome da sua empresa e clique em “Meu Plano”.




Na lateral esquerda, desta nova tela, você pode visualizar as informações que estão disponíveis nesta área. Basta clicar em cada uma da listagem para visualizar o conteúdo da na tela.




Conheça as informações que estão disponíveis:


Geral


Nesta aba estão visíveis os recursos que estão disponíveis no seu plano.




Valores Contratados


Esta opção mostra quais itens compõem a sua mensalidade, cobranças adicionais e franquias.












A grande novidade é que a partir de agora você pode incluir ou excluir operadores, liberar serviços adicionais como SMS e Enriquecimento de dados diretamente dessa tela.

Entenda como funciona

Para alterar a quantidade de operadores clique no botão “Alterar”, neste momento abrirá uma tela para inclusão de uma nova quantidade de operadores, depois clique no botão “Consultar” para visualizar o que muda em sua mensalidade, mostrando o valor do plano antes e o valor depois da alteração. Veja que o sistema também mostrará os valores de pró-rata para sua próxima fatura ou para a fatura em aberto que ainda não está vencida, a pro-rata pode ser a crédito ou débito dependendo se você aumentou ou diminuiu a quantidade de operadores.

Observação: se você tiver uma fatura que já foi emitida e não está vencida, esta será cancelado e será gerada uma nova já com as alterações efetuadas.




Importante: caso a ação desejada seja a de reduzir a quantidade de operadores, antes de efetuá-la você deverá acessar a Menu Configurações / Usuário / Usuários e inativar ou excluir o login que você deseja cancelar, para que fiquem ativos apenas os logins que você gostaria de manter.   


Serviços adicionais 


Para liberar serviços opcionais clique no botão “Liberar” para começar a usar ou “Bloquear” para cancelar a disponibilidade.




Contatos


Nesta aba você pode atualizar os dados de contato da sua empresa. Lembre-se que o e-mail que estiver cadastrado como financeiro receberá todo mês o boleto para pagamento, caso seja necessário atualize as informações.




Pagamentos


Nesta aba você continua visualizando o Extrato Financeiro com os pagamentos que já foram efetuados e, a partir de agora, tem um nova coluna chamada “Detalhes” para que você possa consultar os itens da fatura emitida clicando na lupa que fica na linha do pagamento




Na tela “Itens da Fatura”, você visualiza o valor da mensalidade e dos serviços adicionais, veja como ficou:






Além disso, é possível imprimir o boleto do mês que fica disponível 10 dias antes do vencimento e/ou alterar o seu meio de pagamento para cartão de crédito nesta aba.




Perguntas Frequentes


Aqui estão algumas perguntas frequentes para contratação.




Cancelamento


Nesta aba o seu plano pode ser cancelado em qualquer momento sem qualquer custo ou taxa adicional.


Agora você já sabe como utilizar as novas funcionalidades do Menu Meu Plano no CEDRUS.


Até mais!



Sistema de Cobrança


quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

Indicadores de desempenho de cobrança

Indicadores de desempenho de cobrança
By Equipe CEDRUS - 15/01/2020

A vida moderna é baseada em índices, gradações e medições. Medimos temperatura, distâncias, gastos, etc. Muitas vezes é a combinação do resultado destes índices que traz as informações mais importantes. Por exemplo, um carro em movimento. Em seu painel conseguimos ver alguns indicadores de seu desempenho, como a velocidade, as rotações do motor, o consumo de combustível e quilometragem percorrida. Neste mesmo painel é possível ser avisado caso algo não esteja muito bem, como o nível do óleo, portas abertas ou alguma outra funcionalidade não muito certa. Imagine como esses índices são importantes para que o carro se mova em segurança, imagine o quanto é importante que o motorista saiba observar e interpretar esses gráficos e números para tomar a decisão de seguir viagem ou parar num mecânico.

Assim é com um setor de cobrança em empresas. Quando um dos parâmetros da operação de cobrança não está funcionando corretamente, indicadores pré-determinados devem “avisar” gestores e equipes para que uma nova rota seja traçada. Antes a Cobrança era mais um setor nas empresas, um gasto que nascia do não pagamento de seus clientes, atualmente, esta é uma área estratégica que além de reaver valores não pagos pode conhecer também o perfil dos clientes, devido ao seu alto nível de especialização e possibilidade de identificar gargalos em toda a cadeia produtiva e de entrega de produtos e serviços. 

Hoje vamos falar sobre quais índices podem fortalecer este importante setor da economia e como você pode incorporá-los em sua operação de cobrança.


NIA - Nível de Inadimplência Aceitável


Falamos mais detalhadamente sobre a inadimplência aceitável e como calcular o II (Índice de Inadimplência da sua empresa aqui). Mas, basicamente, trata-se de uma meta mínima e máxima, definida internamente e de acordo com as características e necessidades da empresa para que se saiba o quanto de inadimplência compromete ou não a operação da empresa como um todo. Após achar esse número, que pode ser um mínimo aceitável ou um máximo suportável, deve-se optar por qual periodicidade ele deve ser observado e quais são as ações a serem tomadas quando o índice crescer.


CPC - Contato com o Próprio Cliente


Às vezes pode soar engraçado, mas muitas ligações feitas por equipes de cobrança simplesmente não conseguem falar com o real dono da dívida, em caso de pessoa física, ou com a pessoal responsável pela tomada de decisão de pagamento, em caso de pessoa jurídica. Por isso,  nesse indicador é importante saber quantas ligações são efetivas, se tem impacto na conversão dessa dívida em títulos pagos, no quanto a equipe está treinada para melhor abordagem e se a empresa precisa investir numa reforma cadastral, num programa de enriquecimento de dados e em atualização do mailing.


TML - Tempo Médio de Ligações


Além de envolver custos de hora/funcionário(a) o tempo médio de ligação impacta no monitoramento desse indicador e impacta diretamente no custo de telefonia da operação de cobrança. Neste indicador deve-se fazer uma diferenciação entre ligações para clientes pessoa física e para clientes pessoas jurídica, isso porque a estratégia de contato e negociação muda, assim como o tempo de ligação. Ligações para pessoas físicas com menos tempo de atraso e dívidas menores, tende a levar menos tempo que aquelas para mais atrasadas, pois o operador precisa ficar lembrando o cliente da dívida; Já quando uma empresa cobra outra empresa, normalmente os valores são maiores, então a negociação é mais complexa. É necessário um operador bem treinado para isso. Investir no treinamento é mais rentável para a operação pois economiza-se em tempo de ligação.


QA - Quebra de Acordos

A quebra de acordo acontece  quando o cliente se compromete com o operador de cobrança a fazer o pagamento e acaba não cumprindo essa promessa. Cabe à equipe verificar por que motivo o cliente não pagou novamente: esquecimento, boleto extraviado, imprevisto ou falha de comunicação. Ele prometeu mesmo? Quando? Em que condições? Quem o abordou? Essas informações vem de relatórios e de um novo contato com este cliente, se necessário. Vale também entender como o operador pode ser mais assertivo para que o cliente realmente honre o acordo efetuado.


Geração de receitas x custo de operação


Por fim, mas não menos importante, cabe saber o quanto de receita se arrecada após todo o custo de uma operação de cobrança. Este monitoramento precisa ser diário, este setor precisa gerar receita suficiente para pagar os custos e ainda trazer lucro para a empresa, seja ele interno na empresa de qualquer atividade, ou mesmo, empresas especializadas em cobrança. Este indicador está ligado diretamente aos demais, pois se tivermos um TML alto demais, uma grande quebra de acordos e um baixo CPC com certeza a receita não será suficiente para pagamento dos custos operacionais.


Razões da Inadimplência


Este não é exatamente um indicador, mas um trunfo, um super poder desta área super estratégica que podem passar despercebido pelas pessoas no dia a dia. Os setores de cobrança ao entrar em contato com os clientes inadimplentes podem, e devem na verdade, descobrir o motivo do não pagamento. As razões da inadimplência vão de morte do cliente até a situação econômica do país, mas no meio do caminho disso tudo tem um leque de oportunidades para empresa melhorar outras áreas, mexer no que está ao seu alcance.

Para finalizar, vamos listar algumas razões de não pagamentos de títulos que podem ser solucionadas internamente, afinal toda inadimplência tem uma razão:

    • produtos entregues com defeito / com atraso;
    • clientes insatisfeitos com o atendimento;
    • serviço de cobrança recorrente sendo entregue com baixa qualidade;
    • cliente não recebeu o boleto, ou perdeu e não foi lembrado que precisaria pagar.

Como disse o especialista, Ricardo Veleirinho no CONACOB - Congresso Online de Crédito e Cobrança, realizado pela RDZ Sistemas em 2018 de forma completamente online: “Se a área de cobrança não efetuar seu trabalho com inteligência e continuidade a empresa poderá sofrer com a ausência de dinheiro em seu caixa e por muitas vezes não conseguirá honrar com os seus compromissos e dar continuidade na realização de novos projetos”.

Agora você já conhece os principais indicadores de cobrança e pode profissionalizar suas atividades nessa área.

Até a próxima!



Sistema de Cobrança



Copyright © RDZ Sistemas - Sistema de Cobrança
Bloggertheme9